Notícias -

Estudante de medicina de 22 anos teria confessado abuso de irmãs de 3 e 9 anos e desaparece

9 de Outubro de 2021

Um jovem estudante de medicina, de 22 anos, está sendo apontando por estupro de vulnerável após relatos dos próprios parentes à polícia de que ele teria estuprado duas primas, uma delas hoje com 13 anos, e duas meninas de 9 e 3 anos, que são irmãs dele. Todas já relataram esta semana os acontecimentos diretamente à Justiça, com o acompanhamento de psicólogos. Diante da notícia de que Marcos Vitor Aguiar Dantas Pereira teria fugido para o exterior, o advogado Ricardo Araújo, que representa as vítimas, diz que o Ministério Público vai pedir a prisão preventiva do estudante e possivelmente fazer um comunicado internacional de buscas pelo suspeito à Polícia Federal. A madrasta de Marcos Vitor e a irmã dela, mães das crianças, já o tratam como foragido. As informações foram divulgadas pelo portal G1 e o Jornal O Globo.

O caso veio à tona depois de anos de convívio de Marcos Vitor com as meninas. Quando ele tinha apenas 8 anos, o pai dele foi viver com P.L. (que pediu para não ter o nome identificado). O casal de classe média, que mora na Zona Leste de Teresina, teve duas filhas, que teriam sido vítimas do irmão. A família acredita que as investidas tenham começado quando ele era adolescente, mas ninguém nunca percebeu nada. Nos depoimentos feitos no tribunal, as crianças contaram que ele se trancava com elas no quarto e tocava nelas.

O caso

A família acredita que os abusos às irmãs teriam começado quando ele ainda era adolescente, porém, ninguém relata ter percebido nada. Nos depoimentos feitos em juízo, as crianças contavam que ele se trancava no quarto com elas, tocava nelas e pedia que fizessem sexo oral.

O caso veio à tona quando uma prima relatou os abusos. Ela faz tratamento psicológico desde os 6 anos, apresentou mudanças de comportamento e chegou até a tentar suicídio. Hoje, a menina tem 13 anos e decidiu contar o que aconteceu.

Conforme o depoimento, ela teria sido abusada por Marcos entre os 5 e 10 anos. Ele tocava suas partes íntimas.

Confissão

Mensagens trocadas entre Marcos e a madrasta - que é mãe das meninas - revelam que ele confessou o crime. No relato atribuído a ele, o estudante diz que "foi uma parte da minha vida que me envergonha muito [...] não existe nada que justifique o que aconteceu [...] eu só posso pedir perdão para você e toda a família que me acolheu muito bem", disse.

Ainda no mesmo relato ele completa dizendo que "vou entender se não me perdoarem, eu também não sei se me perdoaria, mas quero que saibam que aquele não sou eu".

Foragido

Desde então, a família não consegue contato com Marcos, que não compareceu para prestar depoimento à polícia e já é considerado foragido.

Ao jornal O Globo, o advogado do estudante preferiu não comentar sobre o caso, que tramita em segredo de justiça.

Família em choque

Ao advogado da família diz que todos estão em choque, pois Marcos era considerado um jovem impecável, educado, respeitador, inteligente e estudioso. Sempre defendeu com rigor crimes os quais agora é acusado.

Conforme a irmã da madrasta de Marcos, mãe de uma das vítimas, ninguém desconfiava dele, pois, não bebia, não fumava e tinha namorada fixa.

Comentários
Assista ao vídeo
cture-in-picture" allowfullscreen>