Viver - Esporte

Em entrevista especial, embaixadores da LaLiga revelam seus pratos favoritos

6 de Janeiro de 2021

O 'Dia da Gula' é comemorado apenas no final do mês, em 26 de janeiro, mas alguns astros do futebol mundial aproveitaram as festas de fim de ano para eleger seus pratos prediletos

Durante grande parte da carreira - para não falar dela inteira - o jogador profissional de futebol é privado de muitas coisas, principalmente quando o assunto é gastronomia. Até por isso, quando se aposentam, é bastante normal vê-los aproveitando ao máximo os pratos típicos de países onde jogaram ou nasceram. Por conta disso, aproveitando as festas de fim de ano, a LaLiga conversou com alguns de seus embaixadores para saber mais sobre seus gostos e habilidades na cozinha.

O brasileiro Denílson, que brilhou em solo espanhol com a camisa alviverde do Real Betis entre 1998 e 2005 - ajudando na conquista da única Copa do Rei do clube -, foi o primeiro a falar, optando por um clássico da cozinha da Espanha: "o que eu cozinho? Ovos mexidos com batata. É isso! Um prato muito famoso na Espanha, ovos mexidos com batata".

Isso, nada mais é que a famosa tortilha espanhola ou simplesmente tortilla (foto), uma espécie de omelete, feita com ovos e batatas fritas. Em alguns casos, é comum levar cebolas, dependendo da região onde é feita. As batatas devem ser cozidas lentamente primeiro no óleo ou azeite de oliva, para que encharquem e amoleçam, dando a consistência ideal para o prato.

Por outro lado, o inglês Steve McManaman, que brilhou e foi multicampeão pelo Real Madrid entre o fim da década de 1990 e o início dos anos 2000, relevou não ter muita afinidade na cozinha: "Cozinhar? Vish... primeiro, eu não cozinho. Segundo, eu não faço ideia. Talvez um refogado, alguns ovos, ou algo assim. Não sou muito bom cozinhando".

Já o argentino Fernando Redondo, que foi companheiro de equipe de Steve no Real Madrid - atuando pelos Blancos por nada menos que seis temporadas, de 1994 a 2000, conquistando a LaLiga e a Liga dos Campeões em duas oportunidades -, ficou com um prato típico de seu país natal: "o meu favorito... meu único, na verdade, é carne grelhada, de churrasco, no melhor estilo argentino. Não é o meu melhor prato, mas sim o único".

Frédéric Kanouté, ex-jogador franco-malinês (com origem na República de Mali), que fez história com a camisa rojiblanca do Sevilla FC entre 2005 e 2012 - com títulos como Copa da UEFA, Supercopa da UEFA, Copa do Rei e Supercopa da Espanha -, seguiu a mesma linha de Redondo e optou por uma especiaria de seu país: "meu prato favorito? Provavelmente, um africano. Temos uma especialidade no Mali chamada Mafé (foto), que é feito com manteiga de amendoim, Cury e arroz. E olha que eu cozinho muito bem".

Por último, mas não menos importante, foi a vez do francês Christian Karembeu, que também brilhou pelo Real Madrid - novamente entre o fim da década de 1990 e o início dos anos 2000, com direito a duas taças da Liga dos Campeões e uma do Mundial no currículo -, escolheu um prato da Nova Caledônia, sua terra natal, um arquipélago da Oceania situado na Melanésia, anexado à França. País que defendeu na Copa do Mundo de 1998, na Eurocopa de 2000 e na Copa das Confederações de 2001, onde foi novamente campeão.

"Meu prato favorito é lá da Nova Caledônia. É uma mistura de muitos vegetais, com nosso ingrediente especial, o leite de coco. Você precisa colocar no forno, o forno natural sob a terra. Depois, você precisa esperar pelo menos duas horas para que cozinhe lentamente. No final, fica um prato delicioso", concluiu.

Não é só Futebol. É LaLiga.

#HayQueVivirla

Comentários
Assista ao vídeo
cture-in-picture" allowfullscreen>