Colunistas - Rodolfo Bonventti

Minisséries ocupam o horário das 22h e se destacam pela originalidade nos temas

5 de Maio de 2020

Nos anos 1980, depois do sucesso de “Lampião e Maria Bonita” e “Avenida Paulista”, a TV Globo resolveu investir definitivamente em minisséries e em 1983 exibiu três delas, uma logo após a outra.

A primeira, e a de maior sucesso entre as três, foi “Bandidos da Falange”, um original de Aguinaldo Silva e Doc Comparato com direção de Luís Antonio Piá e Jardel Mello e exibida a partir de 10 de janeiro de 1983 3m 20 capítulos.

Ambientada na Baixada Fluminense, era a história da criação de uma organização criminosa no Rio de Janeiro chamada de Falange Vermelha, e de como ela se defrontava com uma polícia corrupta e repressora.

“Bandidos da Falange” revelou o ator José Mayer que vivia Jorge Fernando, o jovem que cria a Falange Vermelha, e teve no seu elenco um grande trunfo, com desempenhos marcantes de Betty Faria, José Wilker, Stênio Garcia, Gracindo Junior, Tânia Alves, Roberto Bonfim, Marieta Severo, José Dumont, Yolanda Cardoso e Jonas Bloch.

A segunda minissérie desse período foi a difícil história de um relacionamento entre um casal, em que ela, Valentina, descobria que estava com câncer e em estado terminal. Um original de Daniel Más, Leilah Assunção e Daniel Más, exibida em apenas cinco capítulos e com Renée de Vielmond e Carlos Augusto Strazzer encabeçando o elenco.

A minissérie estreou em fevereiro de 1983 com direção de Wálter Avancini e Adriano Stuart, mas das três foi a que registrou menor audiência, talvez em função do tema polêmico da doença terminal, embora trouxesse um elenco digno do horário das 20h30, que além de Renée e Strazzer contava com Raul Cortez, Maria Cláudia, Mauro Mendonça, Maria Isabel de Lizandra, Thales Pan Chacon, Maria Fernanda, Lineu Dias, Julia Lemmertz, Luiz Guilherme, Nicole Puzzi, Suzy Arruda, Luiz Parreiras, Abrahão Farc, Ana Rosa e Aldine Muller.

A terceira minissérie foi um original de Bráulio Pedroso e Geraldo Carneiro, “Parabéns Pra Você”, dirigida por Dênis Carvalho e Marcos Paulo, e que contava a história de Mendonça, interpretado por Daniel Filho, um professor de física que chegava aos 40 anos de idade em crise existencial e casado com uma jornalista, Maria Rita, vivida por Débora Duarte, que, ao contrário dele, estava em ascensão profissional.

Exibida em 13 capítulos, a produção inovou ao trazer para o enredo várias entrevistas com personalidades na faixa dos 40 anos, como Cacá Diegues, Éder Jofre, Gilberto Gil e Henfil para falarem sobre seus planos para o futuro e como enxergavam chegar a essa idade.

No elenco estavam além de Daniel e Débora, nomes importantes como Fernanda Torres, Altair Lima, Flávio Migliaccio, Isabel Ribeiro, Jorge Dória, Juca de Oliveira, Norma Bengell, Adriano Reys, Cláudio Correa e Castro, Oswaldo Loureiro, Ítalo Rossi e Tânia Scher.

A experiência da TV Globo com as minisséries deu certo e voltaria no ano seguinte com mais dois sucessos: “Padre Cícero” e “Anarquistas, Graças a Deus”.

Comentários
Assista ao vídeo
cture-in-picture" allowfullscreen>